Enciclopédia Negra

Parte do projeto Enciclopédia Negra, com livro publicado pela editora Companhia das Letras e organizado por Lilia M. Schwarcz, Flávio Gomes e Jaime Lauriano, a exposição inaugurada pela Pinacoteca do Estado de São Paulo destaca personalidades negras que não foram representadas pela história hegemônica do Brasil.

O livro apresenta a biografia de mais de 500 personalidades negras que foram apagadas da história do Brasil, divididas em centenas de verbetes individuais e coletivos. A mostra então convida 36 artistas da cena contemporânea para dar cor, corpo e voz a essas biografias apagadas pela história.

A artista Panmela Castro, fundadora da Rede Nami e representada atualmente pela Galeria Luisa Strina, participa da exposição com 5 obras: Catarina Cassange (presente no livro), Lourença Correia, Mathias Henrique da Silva e Faustino da Silva Paiva, Felipa Maria Aranha e Ana, Deolinda e Isabel, capoeiristas.

As histórias contadas através das pinturas de Panmela retratam escravizados que criaram um clube de leitura no pleno fervor da abolição, sobre mulheres capoeiristas, líderes quilombolas, revolucionárias e desafiantes das imposições binárias de gênero. Através desses questionamentos, a artista identifica nessas biografias vivências que fazem parte não só de sua trajetória, mas também de tantas outras que desafiam o racismo e o machismo cotidianamente no Brasil.

A exposição pode ser conferida atualmente no Museu de Arte do Rio (ingressos aqui), no Rio de Janeiro, até o dia 07 de julho de 2022. Para a remontagem na cidade, foram convidades mais 6 artistas que, junto dos 36 presentes na mostra original, recriam as histórias destas personalidades fundamentais para a formação cultural e intelectual do país. O livro Enciclopédia Negra pode ser encontrado no site da editora Companhia das Letras, que entrega para todo o Brasil.

Panmela Castro com a curadora da exposição, Lilia M. Schwarcz.

"Lourença Correia”, acrílica sobre tela, 70 x 50 cm, 2020. Foto: Acervo Pinacoteca

“Felipa Maria Aranha”, acrílica sobre tela, 70 x 50 cm, 2020. Foto: Acervo Pinacoteca

Vista das obras na exposição "Enciclopédia Negra", na Pinacoteca de São Paulo.

“Mathias Henrique da Silva e Faustino Da Silva”, acrílico sobre tela, 70 x 50 cm, 2020. Foto: Acervo Pinacoteca

Vista das obras na exposição "Enciclopédia Negra", na Pinacoteca de São Paulo.

"Ana, Deolinda e Isabel, capoeiristas”, acrílica sobre tela, 50 x 70 cm, 2020. Foto: Acervo Pinacoteca

"Catarina Cassange”, óleo sobre tela, 70 x 50 cm, 2020. Foto: Acervo Pinacoteca