A Imitação da Rosa

A performance “A Imitação da Rosa” aconteceu em 2016, na Galeria do Lago do Museu da República/RJ, em função da exposição “Somos Todos Clarice”, que contou com a curadoria de Isabel Portella.

Para a ação, a artista Panmela Castro, afetada pelo texto “A Imitação da Rosa” de Clarice Lispector, concebeu junto de sua mãe, Dona Elizabeth, um vestido “siamês” que só poderia ser vestido e carregado com a ajuda de outra pessoa. Para a artista, a caminhada conjunta e o exercício de sustentar o peso fazem alusão ao conceito de sororidade, que significa a união e aliança entre mulheres. A sororidade permite com que carregar e sustentar os pesos e fardos de ser uma mulher possam ser vivências mais brandas, em que as trocas e afetações entre duas que vivem experiências similares permitem com que uma lembre a outra de que não estão sozinhas.