Ruptura

“Na performance “Ruptura”, de 07 de julho de 2015, eu me tatuei. Me tatuei como espetáculo e esta maçã, que é símbolo da transgressão, do não aceitar, do me posicionar no mundo. Esta maçã que é Eva, que é Panmela, que é Anarkia. É mostrar que não é apenas um desenho, é arte, é a vida; a vida real.”

Panmela Castro