Encruzilhada

A exposição “Encruzilhada”, segundo o curador Ayrson Heráclito, “é uma reunião de artistas de diversos contextos históricos, sociais e raciais que articulam tensões na produção de visualidades, cuja centralidade dos seus interesses criativos é ativada a partir do universo das culturas afrodiaspóricas”.

Para Daniel Rangel, que assina a curadoria ao lado de Heráclito, “a proposta da mostra traz uma conexão material-espiritual espaço-temporal que busca revelar a potência da presença africana na produção artística brasileira, do modernismo ao contemporâneo”.*  

Vista da exposição “Encruzilhada”, no Museu de Arte Moderna da Bahia.

Para a mostra, a artista Panmela Castro produziu a obra “Ana Cláudia Lemos Pacheco, série Residência (Salvador)”. A professora baiana, autora do livro “Mulher negra: afetividade e solidão” é uma das principais referências da artista e inspirou a criação da série de pinturas Mulheres Negras Não Recebem Flores. A tela foi doada para o acervo do Museu de Arte Moderna da Bahia.

“Ana Cláudia Lemos Pacheco, série Residência”, óleo sobre linho, 2022. Ph: Acervo Panmela Castro

* Os textos entre aspas foram retirados do site oficial do Museu de Arte Moderna da Bahia.